domingo, 19 de fevereiro de 2012

Chevrolet Agile: o Corsa dos tolos

Que desenho mais empolgante...

Em meados de 2009, depois de alguns anos convivendo com a segunda (e atual) geração do Corsa e já cansado de ver as belas fotos do Opel Corsa lá na Europa, imaginava que a GM pudesse trazer ao Brasil (mesmo que depenado e atrasado) a última geração do Corsa.

Mas como um cachorro de porta de bar, que toma chute sem entender o porquê, vi surgir o carro mais feio que a GM poderia fazer até então: o Agile. Que nome para um carro que nada tem de apelo esportivo, não?

Se a feiura fosse seu maior ponto fraco, até que não estaríamos tão mal, mas como o cachorro na porta do bar, depois do chute vem as pedradas.

Um carro que veio para substituir a segunda geração do Corsa foi construído sobre a plataforma do Celta, ou seja, a mesma base do primeiro Corsa, lá de 1994. Em vez de evoluir, o carro andou uma geração pra trás. Nada demais se fosse vendido de forma honesta, como um carro barato e competitivo, mas tentaram empurrá-lo goela abaixo do consumidor, como sendo um carro melhor que o Corsa.

E isso tinha um motivo, aliás dois:

- A GM amerícana estava quebrada em 2009. Sim, quebrada, falida. Tanto que o governo americano comprou 60% de suas ações. Ela precisava de um carro que fosse de baixíssimo custo de produção. O Agile foi criado usando plataforma e motores já muito conhecidos. Fizeram aquele omelete com o que sobrou na geladeira, porém colocam num prato bonito e vendem caro.

- O brasileiro seria facilmente iludido com essa "novidade". Se a propaganda no intervalo da novela falou que é novo e é "do bom", tá falado! Bora pegar um novo carnê na concessionária. E na hora que chegar em casa, contar vantagens para o vizinho, dono do Corsa. Mal sabem que o Corsa (atual) é bem melhor que o Agile, seu sucessor.

Passados três anos de seu lançamento, para nossa sorte, seu sucesso não foi tão grande quanto a GM esperava. Ele luta para ficar entre os dez carro mais vendidos. Ainda assim, é muito mais vendas do que merece.

E eu já ia esquecendo, pior que o Agile é a "nova" Montana. Tiveram a cara de pau de aproveitar o nome Montana e fazer um carro tão horrível, até mais feio que o Agile, tanto que ficou conhecido como Monstrana. Pelo menos é a menos vendida entre as pick-ups pequenas.

Ponto forte da "Monstrana":  ser mais feia que o Agile


A verdade é que a GM ainda vive na inércia do seu sucesso da década de 80 e 90. Mas nos últimos anos parece que o embalo está acabando. O ano de 2012 será marcado pela renovação de boa parte da linha da GM: Cruze, Colbat e S10 já estão na área. Vamos torcer para que venham modelos mais honestos e com preços mais justos.

Pra fechar, um consumidor doido da vida, com a merda de seu Agile:



4 comentários:

  1. Tá falando bosta... Falar sem conhecer pessoalmente é uma coisa, realmente a plataforma é do corsa antigo, mas primeiro:
    1 - o que é feio pra você pode ser bonito para outros
    2 - outros carros são usados com plataformas antigas e ninguém fala nada
    3 - ande em um pra ver a diferença antes de defecar via oral

    Falar sem saber é o que o brasileiro mais sabe...

    ResponderExcluir
  2. Pode ser bonito pros outros quem? Todos q conheço o acham horroroso, pra achar o contrário só se tiver cometido o erro d ter adquirido um ou se trabalhar na chevrolet... E não Seria defecar pelos dedos? Por unanimidade o carro é feio e pronto.

    ResponderExcluir
  3. Pode ser bonito pros outros quem? Todos q conheço o acham horroroso, pra achar o contrário só se tiver cometido o erro d ter adquirido um ou se trabalhar na chevrolet... E não Seria defecar pelos dedos? Por unanimidade o carro é feio e pronto.

    ResponderExcluir
  4. Econômico moto valente.confortavelporta mala espantosos

    ResponderExcluir